domingo, 5 de dezembro de 2010

Há três coisas que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.

Sempre achei esse provérbio chinês muito dramático, mas, digamos, é uma boa verdade. Hoje não falarei sobre flecha lançada ou oportunidade perdida. E sim da "palavra pronunciada". =D

Acho que todos nós já tivemos problemas ou decepções com isso. E se ainda não tivemos, iremos ter. É um fato... hehehehe....

Não estou dizendo daquelas palavras que saem num momento de fúria, de nervosismo, de briga ou de discussão. Essas você sente que são da boca para fora... Afinal, quem numa briga de adolescente com os pais nunca disse "Eu queria que você não fosse minha mãe, eu te odeio!" ou "Eu queria que você morresse"...

Ou, numa briga de relacionamento falou "Preferia não ter te conhecido" Você nao me ama".. Ó... Que drama...Rs...

Essas palavras dos momentos de explosão são fáceis de lidar. Até podem magoar um pouco na hora, mas num momento de reflexão, de pensamento ou de conversa você sabe que aquilo não é verdade.

Difícil mesmo são aquelas que você jamais espera ouvir, ou pior ainda, aquelas que você jamais espera ouvir DAQUELA pessoa específica. Aí sim é mais complicado, e é aí que essa frase do Título entra... Não volta atrás...

Eu conheço uma pessoa que ultrapassa esse limite que eu aqui coloco. Um cara que eu não conheço igual, especial, muito especial.
Um cara que sim, fez muita coisas criticáveis, mas nunca teve só suas AÇÕES julgadas, mas também os seus SENTIMENTOS.
Mas ele releva... E eu não sei se isso é bom ou ruim...


Diria que JULGAR não é uma coisa boa, mas, é inerente ao ser humano. Ainda mais nos dias de hoje... "Aquilo é fútil", "Aquilo é errado", "Essa pessoa age errado", "Eu não faria aquilo"...

São coisas normais de se ouvir, afinal, cada um tem um estilo de vida, uma ideologia, gostos diferentes e posições distintas referente a uma mesma coisa. Isso é saudável, ouvir opiniões alheias, ouvir críticas e até julgamentos de atitudes e ações.

Mas, tem algo que é extremamente perigoso de se mexer... Com os sentimentos. Diria que, julgar sentimentos é a pior coisa que existe.

Uma situação fácil de ser compreendida:

"Uma mãe com dificuldade de educar o seu fiho adolescente, que deixa ele beber, ficar até altas horas na rua e ter amizades complicadas".

Julgar a situação: "Cara! Isso é errado! A mãe tem que saber dizer NÃO, tem que proibir andar com esses amigos, tem que impor horário para voltar para a casa e principalmente, tem que saber educar! Eu nunca faria isso."


Bom, digamos que para a mãe "normal" ouvir isso seja difícil, mas como eu disse mais acima, na reflexão ou na conversa ela compreende, e aceita a crítica do outro. Tem umas que nem ligam, mas isso não vêm ao caso agora...Umas compreendem as críticas com mais facilidade e outras com menos facilidade.

Mas, digamos que a "crítica" seja diferente, não é das AÇÕES da mãe, e sim dos SENTIMENTOS. Que já é algo imensurável, por isso eu acho tão complicado mexer...

Julgar o sentimento: "Bom, olha como essa mãe deixa o filho... Parece que ele nem tem mãe, faz o que quer, anda com quem quer. Essa mãe deve gostar mais de assistir os filmes dela do que do próprio filho. Parece que ela ama mais a televisão do que o filho..."


Entende? Você não está criticando uma ação, uma situação, um costume ou o cotidiano somente. Você esta atacando um sentimento. E como eu já disse acima, sentimentos são imensuráveis, não capaz de colocar em prova, em julgamento...

Teria várias situações para colocar... Outro exemplo... Namoros... Sempre tem aquela garota ou garoto que troca muito de namorado! Hehehehe acho que todos conhecem alguma pessoa assim!

E cada vez que ela troca de namorado as pessoas podem criticar: "Nossa, outro... Essa pessoa não tem juízo... Eu não acho certo, não faria isso"...

Isso é crítica, o meu ponto de vista... Todos ouvem, TODOS! Mas, o complicado seria dizer.. "Essa pessoa não ama ninguém, trocou de namorado 3 vezes apenas em 1 ano! Ela não ama ninguém, não sente nada por ninguém, só por ela própria"


Cara, isso sim é uma bobeira, um equívoco... Lamentável. Quem está lá dentro do pensamento, do coração dessa pessoa para saber o SENTIMENTO dela?


Outra situação?
Você tem um pitbull na sua casa... Sempre morou com ele. E aí você tem um filho... Seu filho com um mês de vida fica na mesma casa do cachorro.

Tem pessoas que podem até dizer: "Meu, eu não faria isso nem ferrando"... E tem outras que podem dizer: "Nossa, isso é um absurdo. Essa mãe não pode fazer isso, é perigoso! Tem que dar o cachorro embora...Que negligencia! Parece que ama mais o cachorro do que o bebê, parece que não está nem aí para o bebê, que o cachorro é mais importante"...

Sentimentos não são definíveis. Você pode afirmar que existe relação em a mãe não saber educar o filho com o AMOR que ela sente por ele? Ou que a pessoa não tem sentimento NENHUM, não tem AMOR por ninguém porque trocou trÊs vezes de namorado? Ou que uma mãe por ter um pitbul em casa AMA MENOS sua filha do que uma que não tem?

Tem relação? Você tem certeza?

Se você disser que sim, parabéns! Você acaba de ter uma apoteose! Você é um Deus! Você sabe o que as pessoas sentem, pensam, temem e amam!



Nao sei se estou conseguindo passar o que eu sinto. Mas juro, estou tentando! (E eu não quis imitar aquela porcaria de Legendários, hehehe)


É bem diferente você criticar situações de julgar sentimentos... É MUITO diferente!...

Ninguém passa o que a pessoa passou, ninguém vive o dia a dia da pessoa, ninguém IMAGINA situações que a pessoa enfrenta... Mas o mais importante: NINGUÉM SENTE O SEU SENTIMENTO. Ninguém sente os seus temores todos os dias com a cabeça no travesseiro. Ninguém sente os seus arrependimentos diários. Ninguém sente os desejos, os seus fracassos... Ninguém tem acesso ao SENTIMENTO do outro. E é aí que mora o perigo...


O julgamento é muito forte, as palavras são muito fortes. As palavras tem o poder de estraçalar, estremecer, matar ou ferir amizades de longos anos.

Esses julgamentos tem o poder de causar mágoa, destruir e ferir amizades, de causar brigas, e porque não guerras. "Ué, Guerras?"

"Esse seu sentimento por esse Deus não existe, você não pode amá-lo. Esse seu Deus não existe. É o meu Deus que existe. Esse seu sentimento por esse outro Deus é pecado".

Ou o mais COMUM aqui no Brasil... "Católicos não são fiéis, não amam a Deus acima de todas as coisas...Vão a missa uma vez por semana, acreditam em Santos e em Virgem Maria...Não amam a Deus acima disso, é pecado"

Ou pior, pessoas da mesma CRENÇA... O que é MAIS COMUM AINDA... "A Aline não ama a Deus, nunca vi ela ir em Igreja, acho que ela não acredite Nele.Não tem fé..."


Sim, isso é fé, crença!! Mas me diga meus caros...O que é a fé se não um sentimento imensurável?

Nenhum comentário:

Postar um comentário